Joinville é a maior cidade do estado de Santa Catarina e um dos polos industriais mais robustos do país devido às ferrovias e estradas que a servem. Não é à toa que, todos os anos, a procura costuma ser grande por casas para alugar em Joinville.

A cidade enche-se de patrimônio cultural, arqueológico e gastronômico e atrai visitantes de todo o país e do mundo, fruto da preservação das tradições germânicas, folclóricas e regionais.

O município é conhecido por vários nomes, incluindo a “Manchester de Santa Catarina”, a “Cidade dos Príncipes”, a “Cidade das Flores”, a “Cidade das Bicicletas” e, finalmente, a “Cidade da Dança”, já que hospeda o maior festival de dança do mundo, que é o Festival de Dança de Joinville.

No entanto, apesar de todas essas denominações muito louváveis e populares, ela ainda costuma ser mais conhecida, principalmente, como a cidade da arquitetura germânica.

Mesmo após mais de 16 anos desde sua colonização, Joinville continua a destacar-se por sua maravilhosa arquitetura no estilo enxaimel, como é possível ver em vários edifícios históricos e até mesmo em edificações mais modernas, como em muitas casas para alugar em Joinville.

O estilo enxaimel e suas definições

estilo enxaimel e suas definições

O estilo enxaimel trata-se de um método de construção em que as paredes externas e internas de uma edificação são construídas por armações de madeira e os espaços entre os membros estruturais são preenchidos com materiais como tijolo, gesso ou pau-a-pique.

Tradicionalmente, um edifício de enxaimel era feito de madeiras de carvalho quadradas, unidas por encaixes, espigas e cavilhas de madeira. O esqueleto estrutural do edifício era reforçado frequentemente nos cantos com chaves.

Este método de enquadramento de madeira foi adaptado para casas de campo baixas e irregulares e prédios de seis ou sete andares em cidades lotadas.

No século XX, uma versão modificada do método ainda estava sendo usada, na qual soleiras leves, tachas e vigas de apenas 5 cm de espessura eram pregadas juntas para fazer a armação da casa no lugar das velhas amarras, vigas e chaves.

Onde é desejado apenas o efeito decorativo do trabalho de enxaimel, as placas são aplicadas a uma superfície de parede em uma versão simulada do padrão estrutural antigo.

O estilo enxaimel e a sua presença no mundo

estilo enxaimel e a sua presença no mundo

O trabalho de enxaimel era comum na China e, de uma forma refinada, no Japão, e era usado para arquitetura doméstica em todo o norte da Europa continental, especialmente na Alemanha e na França, até o século XVII.

Na Inglaterra, era popular em regiões que não tinham pedras como material de construção e também foi usado por lá nos condados do Sul e nas Midlands Ocidentais, especialmente entre os anos de 1450 e 1650.

Os caixilhos de madeira das estruturas de enxaimel dos séculos XIII e XIV eram muitas vezes elaboradamente ornamentados. Postes expostos no térreo foram frequentemente esculpidos com imagens de santos patronos, enquanto outros elementos de enquadramento foram enriquecidos com padrões de execução delicados.

Na França, as edificações construídas neste estilo enfatizavam os elementos verticais, e na Inglaterra a tendência era enfatizar as linhas horizontais da estrutura arquitetônica.

Durante os séculos XV e XVI, painéis entre os pregos eram feitos de tijolos em padrões de espinha de peixe ou de gesso moldados ou incisos com formas florais ou com incrustações de ardósia, azulejo ou marga.

Os ornamentos esculpidos eram bastante luxuosos e mostravam motivos clássicos. Muitos pedaços de madeira foram adicionados sem necessidade estrutural.

Estes eram frequentemente cruzados sob janelas, e na Inglaterra, onde mais madeira era exposta, eles eram montados em formas ou divisas cravadas para criar os padrões marcantes das mansões “brancas e negras” de Cheshire e Lancashire.

Na Alemanha, um efeito mais forte e mais grosseiro foi obtido usando menos elementos e enfatizando a órtese de ângulo. Os habitantes ingleses das colônias americanas achavam conveniente usar uma camada isolante de revestimento de madeira (tábuas ou pranchas), e o enxaimel não era visível de fora.

Nos assentamentos americanos franceses e alemães, no entanto, os edifícios eram cópias fiéis dos modelos europeus.

O estilo enxaimel no Brasil

estilo enxaimel no Brasil

No Brasil, o estilo enxaimel está bastante presente nas cidades da região Sul, como é o caso de Joinville. No entanto, para se adaptar ao país, esse estilo arquitetônico acabou por sofrer algumas mudanças leves.

Na época em que a região Sul do país foi colonizada, a construção era simples e exigia poucos gastos, já que utilizava uma base feita em vigas verticais, grandes toras e tijolos maciços que até hoje garantem um visual ornamental repleto de riqueza artística.

O estilo enxaimel na arquitetura de Joinville

construção enxaimel em Joinville

Até hoje ainda existem muitos imóveis em Joinville bem preservados que foram construídos no estilo enxaimel. A maioria trata-se de edificações históricas, e algumas até são bastante conhecidas por serem um grande atrativo para o turismo na região.

Dentre estes imóveis em Joinville que preservam o estilo enxaimel em suas estruturas, destacamos aqui o Museu Nacional de Imigração e Colonização e a Catedral de São Francisco Xavier.

Museu Nacional de Imigração e Colonização

museu nacional de imigração Joinville

O Museu Nacional de Imigração e Colonização é o que mais se destaca, pois conta com um grande acervo de peças, incluindo a casa construída no ano de 1905 em estilo enxaimel, que reproduz de forma fiel – externamente e internamente – uma típica moradia dos colonos alemães.

Esse é o principal motivo pelo qual, inclusive, muitos brasileiros e estrangeiros que se mudam para a cidade procuram por apartamentos em Joinville nas proximidades do museu.

Catedral de São Francisco Xavier

Catedral de São Francisco Xavier

Referência religiosa e arquitetônica da cidade, a Catedral é uma obra de arte por dentro e por fora.

Originalmente construída em 1867, a Catedral de São Francisco Xavier, que atualmente fica próxima de muitos apartamentos em Joinville para alugar, passou por várias modificações até 1977, quando foi inaugurada com o tamanho e as características que exibe hoje.

Composta por 12 colunas que se referem aos Apóstolos, duas cúpulas em forma de concha que aludem às mãos de Deus e 20 vitrais que falam sobre os ensinamentos da Igreja Católica, é um ícone arquitetônico e religioso da cidade.

A igreja também tem escadas que representam a caminhada até a divindade e suas lâmpadas se referem aos 26 profetas bíblicos. A nave principal, com o pé direito alto, remonta desde a pequenez humana até antes do divino. Logo abaixo está a cripta, onde estão enterrados bispos e clérigos, bem como os cidadãos que ajudaram no edifício.

Ainda hoje a Catedral recebe diariamente centenas de visitantes que vão até lá para admirar a sua bela arquitetura ou aproveitar momentos reflexivos e meditativos. É uma edificação que, de fato, representa muito bem a arquitetura maravilhosa de Joinville que é tão reconhecida no Brasil e também no mundo.

Compartilhe o post e propague a admiração por Joinville entre os seus amigos!

Categorias: Discovery

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese